Vamos em Frente.

Esse post ” NÃO DESISTA DOS SEUS SONHOS” acho que vale para todos, mais valeu muito pra mim, pois confesso que essa semana fiquei meio desmotivado, deu vontade de parar com o projeto que estou fazendo, ainda não terminei o mvp, e chegou em uma parte que desanimei, mais como vou saber se não tentar né? Ainda nem fiz a validação com as pessoas para ver se vai ser viável ou não, muitas pessoas que conversei e expressei a ideia todos acharam uma boa, mais não viram realmente como vai ser.

O grande motivo dessa desmotivação é a situação financeira, esta bem difícil, mais acredito que se me esforçar e colocar o mvp para validar, tenho certeza que vou ter feedbacks construtivos para melhorar minha ideia.

Minha meta é deixar esse mvp pronto até semana que vem, dia 26/07 é a minha meta final é o dia que vou terminar meu mvp, depois disso vou mostrar a todos a ideia e validar e ver o que as pessoas vão achar.

Então mãos a obra que sei que vai dar certo, e sigo essa frase “Deus nunca disse que a jornada seria fácil, mais ele disse que a chegada valeria a pena.” – Max Lucado.

 

Vamos em frente companheiros, e um ótimo dia a todos.

Não desista dos seus sonhos.

Um homem investe tudo o que tem numa pequena oficina.

Trabalha dia e noite, dormindo apenas quatro horas por dia.

Dorme ali mesmo, entre um pequeno torno e algumas ferramentas espalhadas. Para poder continuar seus negócios, empenha sua casa e as jóias da esposa.

Quando, finalmente, apresenta o resultado de seu trabalho à uma grande empresa, recebe a resposta que seu produto não atende ao padrão de qualidade exigido.

O homem desiste?

– Não! Volta à escola por mais dois anos, sendo vítima da chacota de seus colegas e de alguns professores, que o chamam de ” louco “.

O homem fica ofendido?

– Não! Dois anos depois de haver concluído o curso de Qualidade, a empresa que o recusara, finalmente, fecha um contrato com ele. Seis meses depois, vem a guerra. Sua fábrica é bombardeada duas vezes…

O homem se desespera e desiste?

– Não! Reconstrói sua fábrica, mas um terremoto novamente a arrasa.

Você pensará, é claro: – Bom, agora sim, ele desiste!

Mais uma vez, não!

Imediatamente após a guerra há uma escassez de gasolina em todo país e este homem não pode sair de automóvel, nem para comprar alimentos para sua família.

Ele entra em pânico e decide não mais continuar seus propósitos?

– Não! Criativo, ele adapta um pequeno motor à sua bicicleta e sai às ruas. Os vizinhos ficam maravilhados e todos querem as chamadas “bicicletas motorizadas”. A demanda por motores aumenta e logo ele não conseguiria atender todos os pedidos! Decide montar uma fábrica para a novíssima invenção. Como não tem capital, resolve pedir ajuda para mais de quinze mil lojas espalhadas pelo país. Como a idéia parece excelente, consegue ajuda de 3.500 lojas, as quais lhe adiantam uma pequena quantidade de dinheiro.

Hoje, a Honda Corporation é um dos maiores impérios da indústria automobilística!

Esta conquista foi possível porque o Sr. Soichiro Honda, o homem de nossa história, não se deixou abater pelos terríveis obstáculos que encontrou pela frente.

Quantos de nós desistimos por muito menos? Quantas vezes o fazemos antes de enfrentar minúsculos problemas?

Todas as coisas são possíveis, quando sustentadas por sonhos e valores consistentes.

Como validar uma ideia de negócio com os potenciais clientes

A Youca.st, startup fundada por Felipe Gazola em 2011, é uma plataforma que disponibiliza vídeos e textos feitos pelos internautas para serem utilizados pelas empresas de mídia. Jornalista e entusiasta da tecnologia, Gazola assistiu ao crescimento da tendência de criação colaborativa, proporcionada pela internet. Ele sabia, também, desde a faculdade, que o mercado para profissionais de sua área se tornava cada vez mais difícil. A união desses dois fatores representava a oportunidade de mercado da Youca.st. Para as pessoas comuns, a startup era um meio para elas relatarem fatos noticiosos que presenciaram. Para as empresas jornalísticas, era a oportunidade de obter material exclusivo e de diversas regiões do Brasil. Na cabeça de Gazola, todo o modelo fazia sentido. Mas era preciso confirmar se o mercado pensava o mesmo.

Gazola precisou, então, validar as premissas de sua startup. É um exercício que todo empreendedor tem de fazer para saber se os potenciais consumidores também veem valor no produto ou serviço que ele oferece. Essa consulta ao mercado não precisa ser custosa. Startups digitais não têm tempo nem recurso para contratar uma agência de pesquisa de mercado. Nesses casos, os próprios empreendedores devem assumir a tarefa e usar todo tipo de meio para obter uma avaliação: interação via internet, abordagem de pessoas nas ruas, conversas com empresas. Para a validação de cada premissa, Gazola se deu a meta de dois meses.

Confira abaixo como ele fez seu dever de casa:

1. Plataforma de vídeo. Quando lançada, em 2011, a startup tinha como objetivo ser uma plataforma para as pessoas postarem vídeos ao vivo, por meio de seus smartphones. A validação da premissa não precisou ir ao mercado. A própria equipe técnica da empresa testou a funcionalidade e a descartou. A tecnologia foi o empecilho. A qualidade ruim da internet móvel no país não permitia essa possibilidade. “A premissa foi descartada no momento”, diz Gazola. “Quem sabe com o 4G nós retomemos essa possibilidade.”

2. Produção de conteúdo. A segunda premissa a ser validada era o interesse de pessoas comuns em produzir conteúdo jornalístico e colaborar com os veículos de mídia. Nessa etapa, Gazola aproveitou um episódio que presenciou. Ao sair de uma reunião no Rio de Janeiro, ele se deparou com um incêndio. Dezenas de pessoas estavam filmando o trabalho dos bombeiros. Gazola diz que abordou um grande números de pessoas perguntando se elas produziriam vídeos sobre os fato que testemunham e se gostariam que o material fosse aproveitado por veículos de mídia. A resposta afirmativa de quase todas as pessoas validou sua premissa.

3. Remuneração da colaboração. A terceira etapa era descobrir se as pessoas que enviam vídeos e relatos jornalísticos o fazem para obter alguma remuneração. A resposta foi não. “As pessoas comuns querem o reconhecimento pela informação, querem participar do processo”, afirma Gazola. Para chegar a essa conclusão, ele disparou a pergunta para a pequena base de usuários que a Youca.st já possuía, formada a partir de algumas interações e eventos de que ele já havia participado.

4. Interesse dos veículos de mídia. Já ciente de que havia um público disposto a enviar material para a imprensa sem cobrar nada por isso, Gazola precisava averiguar se as empresas jornalísticas estariam interessadas em ter um serviço como o da Youca.st. Ele afirma ter feito reuniões com executivos e editores de jornais, revistas e sites. O retorno foi positivo. Os veículos se mostraram interessados em ter uma fonte de informação pulverizada pelo Brasil e capaz de chegar a locais onde a imprensa não está.

5. Relevância para jornalistas. Um veículo de comunicação encampar a ideia não significa que seus jornalistas também o façam. Gazola já havia validado a premissa no macrocosmo da imprensa, mas o que a linha de frente, os repórteres, pensavam disso? Eles estariam interessados nesse tipo de material? Tinham meios para receber o que foi enviado?

Gazola disparou e-mails para uma leva de jornalistas perguntando se viam algum valor na plataforma do Youca.st. Esses profissionais poderiam ser os mais refratários à ideia, uma vez que o conteúdo gerado pela população não havia sido feito com critérios jornalísticos. A recepção, porém, foi boa. Os profissionais da imprensa afirmaram que a startup poderia fornecer um bom manancial de novas matérias. Os jornalistas também disseram que poucas vezes recebem os materiais enviados por seus leitores – na maior parte dos casos, eles ficavam perdidos na caixa de e-mail de alguém. De acordo com Gazola, uma plataforma que disponibilizasse esse material de forma organizada seria constantemente utilizada pelos profissionais da imprensa.

Fonte: http://revistapegn.globo.com/Startups/noticia/2013/07/como-validei-premissas-da-minha-startup.html

Invista na sua Ideia!!

Imagem

Invista no seu sonho, não deixe os outros dizerem que sua ideia não é boa, não deixem as pessoas menosprezar sua capacidade de conseguir transformar sua ideia em realidade, não deixe pois tem muitas pessoas que nunca tentam desenvolver um produto ou alguma coisa no ramo empreendedor, mais adoram rebaixar os outros, acredite e coloque em pratica todo seu conhecimento.
Só da certo algum negócio se você se arriscar, então arrisque e tente, o máximo que pode acontecer é você não conseguir, mais pelo menos você tentou, imagina se você não tentar, vai ficar com aquela impressão e se eu tivesse tentado?
Então vá em frente e acredite na sua ideia.

“Nunca deixe que lhe digam que não vale a pena
Acreditar no sonho que se tem
Ou que seus planos nunca vão dar certo
Ou que você nunca vai ser alguém
Tem gente que machuca os outros
Tem gente que não sabe amar
Mas eu sei que um dia a gente aprende
Se você quiser alguém em quem confiar
Confie em si mesmo
Quem acredita sempre alcança!”

HISTÓRIA DE SUCESSO – APPLE

Imagem

Uma empresa que hoje se tornou gigante, começou com dois caras inteligentes e inovadores, que pensaram em fazer um computador para as pessoas poderem usar, pois naquela época só as grandes empresas tinha computadores, e era aqueles gigantes, ali viram a oportunidade, foram em busca e fizeram o Apple I, ofereceram para os grandes da época, como Hp entre outros , mais eles não aceitaram e não foi por isso que os 2 jovens empreendedores desistiram da ideia virão que faltava algumas coisas e continuaram a desenvolver até que surgiu o Apple II, que foi lançado em uma feira local de computadores, o primeiro computador pessoal de caixa plástica e gráficos coloridos, era uma maquina impressionante, que os pedidos pela maquina se multiplicaram.
Enquanto continuava na linha do Apple II, a empresa começou a trabalhar na interface gráfica, que já havia sido desenvolvida anteriormente pela Xerox. Na época, A Microsoft estava trabalhando para a Apple, e Bill Gates conseguiu exemplares do Lisa (Primeiro computador com interface gráfica a ser lançado no mercado). Pouco antes do lançamento do Lisa, Bill Gates lançou o Windows, utilizando a mesma interface do Lisa, porem com algumas funções modificadas.
O Lisa não fez muito sucesso, chegando a deixar a Apple no vermelho. Porem serviu de Base para o Macintosh, que fez muito mais sucesso. O Sistema operacional dele, MacOS, era o melhor da época, usando muito menos memória.
Mesmo em autos e baixos a Apple sempre tentou inovar com seus produtos, e sua revolução começou com o Ipod, que revolocionou os mp3 players, depois com o Iphone que revolucionou os Smartphones, e com Ipad que revolucionou os tablets.
Podemos seguir essa história como um exemplo para o nosso negocio, pois imagina se eles tivessem desistido quando as grandes empresas não aceitaram o Apple I, ou quando a empresa esteve em baixa, ao contrario utilizaram essas barreiras para continuar e seguir em frente e utilizaram os feedback de seus produtos para criar algo que realmente os usuários procuram.

Montando a Equipe da Startup

Imagem

Depois de ter uma ideia para montar a startup, e depois de entenderem sua ideia, esta na hora de formar uma equipe, não pense que você vai conseguir fazer tudo sozinho, pois quando você tem pessoas para agregar a seu projeto, tem tudo para sua startup crescer.

ImagemBusque pessoas que conheçam outras áreas, assim como na nossa startup busquei pessoas com perfis diferentes e com conhecimento em áreas diferentes, como eu sou desenvolvedor de sistemas e aplicativos, me juntei com pessoas da área administrativa e comercial, sendo assim cada um conhece mais um assunto, e para elaborar planos e estratégias fica muito melhor.

Depois que nos juntamos o crescimento foi melhor, as ideias fluíram mais e foco se manteve, para criarmos um bom produto.

As vezes você pensa que é difícil encontrar pessoas para a sua equipe, mais veja a sua volta, como amigos e parentes que tenham mais conhecimento em determinada área, e veja se a pessoa gostou do projeto, pois isso é muito interessante, porque tendo pessoas que acreditem na ideia, vão fazer de tudo para que de certo.

ImagemFormando uma equipe de qualidade, com foco e preparada para receber feedback vocês já estão no caminho certo, acredite e não desista nunca, pode ter certeza que desafios vão ter, mas vá com força que vocês vão conseguir.

Um Abraço pessoal e se tiver alguma duvida ou sugestão envie email, para everton.bravo@gmail.com

ENTREVISTA COM CLIENTE: 5 DICAS PARA SE PREPARAR

 

Um dos maiores desafios de quem inicia o próprio negócio é aprender a vender. O ideal é que a empresa monte um setor específico para vendas, composto por pessoas com experiência no ramo, ou por pessoas inteligentes que possam se sair bem. Porém o empreendedor que está começando, com restrições financeiras para contratações, tem de encarar pessoalmente os clientes em potencial.

Essa tarefa é ainda mais difícil, já que comumente trabalham com serviços inovadores, ainda desconhecidos do mercado. Nestes casos, os fundadores precisam convencer outras pessoas de que seu produto é bom, mesmo sem referências para apresentar. O problema é que a maior parte deles não faz a menor ideia de como conseguir isso.

Se você está nessa situação, saiba que terá muito trabalho pela frente. Será preciso criar um pipeline de clientes em potencial e traçar um cronograma para agendamento de visitas. Com as reuniões marcadas, você vai iniciar uma verdadeira peregrinação em busca dos primeiros contratos para prestação de serviço ou fornecimento do seu produto. E se quiser obter sucesso durante as reuniões, deverá seguir uma espécie de guia de etiqueta para não errar na hora em que estiver frente à frente com seu possível comprador. Mas fazendo as abordagens certas deverá alcançar êxito em várias dessas visitas.

Então: esteja preparado! Siga as cinco dicas listadas abaixo e evite os erros mais comuns.

1 – Conheça seu cliente

O pior erro a ser cometido por quem quer conquistar um cliente é demonstrar desconhecimento sobre ele. Então, antes de cada visita estude o perfil da empresa/pessoa para qual você vai oferecer seu produto. Saiba exatamente que tipo de serviço ela oferece, quem são seus principais clientes e qual a abrangência de sua atuação. Procure saber como anda o mercado nesse ramo e, se possível, estude também a concorrência.

Informações como essas permitirão que relate com maior exatidão as formas como seu produto poderá ser utilizado no cotidiano do cliente. Dessa forma, você vai deixar de falar de forma generalizada para abordar um discurso personalizado. Esse tipo de tratamento tende a agradar mais. Além disso, os clientes entenderão mais claramente o potencial do produto dentro da realidade em que vivem.

2 – Faça uma boa apresentação

Tenha certeza de que estará preparado para responder a qualquer pergunta e de que fará uma boa apresentação durante a entrevista. Não fique apenas na teoria e parta também para as demonstrações práticas. Afinal, para comprar um produto, as pessoas precisam entender como é o funcionamento dele. Leve para a reunião todo o material e equipamento necessários (e teste tudo antes). Além disso, treinar o que você vai falar pode parecer bobagem, mas ajuda a verificar quais são suas dificuldades na hora da explanação. A identificação desses pontos frágeis o ajudará a encontrar boas soluções de abordagem.

Também faz parte do quesito “apresentação”, a forma como você se veste e apresenta sua startup. Para começar, crie uma boa identidade visual com a elaboração de logo, paleta de cores e tipografia. Isso demonstrará profissionalismo. Depois, tenha certeza de que estará com um visual limpo – cabelos e unhas aparados sempre são recomendáveis – e vestido de forma condizente com o ambiente que vai visitar. Se a empresa for muito formal, com pessoas trabalhando de terno e gravata, não apareça de tênis e camiseta para sua reunião!

3 – Ofereça uma solução

Sua ideia é maravilhosa e possivelmente foi sensacional a forma como você teve aquele insight que o levou à criação da startup. Porém, vamos à realidade: seus clientes não estão muito interessados nisso. Eles querem saber como seu produto pode ajudá-los a melhorar suas práticas cotidianas. Então é exatamente sobre isso que você deve falar durante a entrevista!

Seja prático e vá direto ao assunto. Use a entrevista para explicar de forma clara o que é o seu produto e principalmente quais são as soluções que ele oferece. Mostre que conhece os problemas enfrentados pelo setor e que a sua startup foi criada para responder a essas necessidades. Lembre-se: se você não conseguir comprovar que seu produto tem uma boa utilidade, ninguém se interessará em comprá-lo.

4 – Seja rápido

Não existe um tempo pré-determinado para uma apresentação, porém é certo que hoje em dia ninguém quer ou pode perder tempo. Prepare-se para uma entrevista de no máximo meia hora e não gaste mais do que dez minutos falando sobre seu produto. Esse período é mais do que suficiente para explicar o que você tem a oferecer. Uma apresentação muito longa, além de desnecessária, ficará um saco.

O restante do tempo, deixe para que o cliente fale e faça perguntas. Escute mais, fale menos. Se for o momento, discuta o seu modelo de cobrança. Seja pontual quando se comprometer em enviar uma proposta. Se tiver um preço fechado, pode até falar sobre números. Inclusive, pode ser nessa hora o momento da grande “cartada” mostrando que a contratação da sua startup não significará gastos, mas investimento. Como? É disso que trata a quinta e última dica!

5 – Fale em números!

Todos os tópicos acima são essenciais para uma boa reunião de negócios. Porém, para realmente obter sucesso em sua estratégia de vendas, você deverá apresentar aos clientes razões práticas para a contratação da sua startup. E não há argumentos mais fortes para gestores de empresas do que vantagens financeiras. Se o seu produto vai permitir, por exemplo, redução no tempo de produção, ou economia nos custos com comunicação ou incrementos em divulgação, então você já pode apresentar ao seu cliente boas razões para fecharem o negócio!

Portanto, a principal dica é: estude a viabilidade econômica da implantação do seu serviço nas empresas que atuam no ramo. Faça levantamentos estatísticos e mostre aos seus possíveis clientes como a contratação da sua startup pode ser vantajosa do ponto de vista econômico. Com certeza os números vão falar por si e os contratos vão começar a aparecer.

Você tem mais dicas de como enfrentar uma reunião de negócios?

 

Fonte: http://marcelotoledo.com/2013/07/02/entrevista-com-cliente-5-dicas-para-se-preparar/

Faça o (MVP)

Faça o (MVP)

No desenvolvimento de produtos , o (MVP) é uma estratégia usada para o teste de uma característica do produto ou produto de mercado rápida e quantitativa, popularizado por Eric Ries para aplicações web. È uma estratégia e um processo direcionado … Continuar lendo

Compreenda as opiniões das pessoas

ouvirPrincipalmente no mundo das startups, que é desenvolvido produtos ou serviços inovadores para as pessoas usarem, não se deve descartar as opiniões das pessoas, pois as vezes eles estão tendo uma visão que você ainda não teve, normalmente os empreendedores acreditam tanto na ideia que acaba não vendo alguns pontos fracos, ou pontos fortes que precisam ser trabalhados.

Aconteceu comigo em outros projetos que iniciei, estava com a ideia formada tudo certo, mais as pessoas que estavam a minha volta já viram os problemas que eu ainda não tinha visto, mais eu pensei que não ia acontecer isso, alias sou empreendedor e vejo oportunidades, mais tudo o que o pessoal me informou aconteceu.

Por isso é muito bom conversar com as pessoas a sua volta, ver as ideias deles e o que eles acham sobre sua, pois tudo o que você ouvir é bom analisar a fundo e se prevenir caso aconteça alguns problemas, ou se surgir alguma ideia para agregar a sua.

Então não descarte, e nem ache ruim se alguém criticar ou falar que sua ideia tem algo que pode não dar certo, pois é muito difícil ouvir criticas sobre algo que você esta desenvolvendo com tanta dedicação, mais é melhor identificar antes de colocar a ideia em pratica, e já agir em vez de sofrer com isso depois que colocar seu produto ou serviço no mercado.

Grande Abraço,